menu
Notícias

Nova Boa Vista - Município recebe orientações do Estado no Combate à Dengue



Data de publicação: 31 de outubro de 2023
Hora: 08:52h
Créditos: Daniele Lautert
Fonte: Prefeitura de Nova Boa Vista/RS



No último dia 25 de outubro, estiveram na Secretaria Municipal de Saúde, duas profissionais da 15ª Coordenadoria Regional de Saúde de Palmeira das Missões: Médica Veterinária Jenifer Ávila, do Setor de Vigilância Ambiental e a Enfermeira Elise de Oliveira Rohrig, do Setor de Vigilância Epidemiológica, abordando ações preventivas e novas estratégias no controle ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da Dengue, Zika Vírus e Febre Chikungunya. Na oportunidade, foram repassadas orientações objetivando capacitar os profissionais de saúde na identificação, notificações e tratamento precoce da dengue, bem como desenvolvimento de ações Inter setoriais a fim de evitar um possível surto.
 
Uma epidemia de dengue pode ocorrer considerando-se os altos índices de infestação por Aedes, as atuais condições climáticas (chuvas e calor intenso) e ausência de inverno rigoroso neste ano. Baseados nestes riscos, o Comitê de Combate à Dengue, composto por uma equipe multiprofissional (Administração, Saúde, Obras, Agricultura e Emater, Secretaria de Educação, entre outros) estará nos próximos meses desenvolvendo ações educativas/preventivas e de limpeza urbana que visem eliminar criadouros de insetos.
 
Neste sentido, salientamos nossa preocupação quanto ao retorno da doença, uma vez que vários munícipes (cerca de 50 pessoas) contraíram Dengue em 2022, sendo que no segundo contágio, os sintomas tendem a se agravarem, podendo evoluir, inclusive, para a forma hemorrágica, e consequentemente, possíveis óbitos.
Informamos que provavelmente, no próximo ano, também será adotado outro método de aplicação de inseticida, mais eficaz: ao invés de aplicado nas ruas, será intra-domiciliar. Ou seja, uma pessoa com suspeita de Dengue ou Zika precisará abrir as portas de sua casa para aplicação de um inseticida específico, com efeito residual, para que os mosquitos morram ao pousar nas superfícies tratadas. Essa mudança será necessária por que mais insetos permanecem “abrigados” no interior dos imóveis do que sobrevoando ao ar livre, motivo que torna o fumacê nas vias públicas pouco resolutivo em caso de surto.
 
Portanto, solicitamos que as famílias recebam bem Agentes de Saúde e de Endemias, que permitam a coleta de larvas, e principalmente, que removam objetos que acumulem água da chuva. Somente desta forma evitaremos o adoecimento de nossa população.






O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.