menu
Notícias / Mundo

Do início da expedição à confirmação de morte dos tripulantes: veja cronologia do submarino desaparecido

Na manhã do último domingo (18), cinco pessoas entraram em um submarino para tentar chegar aos restos do barco que afundou em 15 de abril de 1912. Os viajantes perderam comunicação depois de uma hora e 45 minutos de descida ao fundo do mar.

Data de publicação: 23 de junho de 2023
Hora: 08:25h
Fotos: Anadolu Agency/Getty Images
Fonte: g1



A empresa OceanGate, responsável pela expedição turística para ver os destroços do Titanic, anunciou as mortes dos cinco passageiros a bordo de submarino que desapareceu no Oceano Atlântico no domingo (18)Acompanhe em tempo real.

Os destroços do Titanic estão a cerca de 650 km ao sul de St John's, Newfoundland, no Canadá, a aproximadamente de 3.800 metros da superfície.

Veja a cronologia do desastre:

16 de junho: grupo inicia viagem aos destroços do Titanic

Cinco pessoas entram em um submarino para tentar chegar aos destroços do Titanic, para a primeira viagem de 2023.

A empresa de turismo marítimo, OceanGate Expeditions, cobra US$ 250 mil (R$ 1,19 milhão) dos passageiros por um lugar em sua expedição para ver os destroços.

Para ir até o local, uma grande embarcação saiu de Newfoundland, no Canadá, carregando a embarcação. Como o veículo não é autônomo como um submarino de grande porte, precisa ser carregado na superfície do mar por 643 km até a região onde estão os destroços.

18 de junho: submarino perde a comunicação

Por volta das 8 horas, começa a descida até o Titanic. A expectativa era que levasse cerca de duas horas para chegar até o local. Porém, o submarino perdeu comunicação depois de uma hora e 45 minutos de descida.

19 de junho: Guarda Costeira anuncia buscas

A Guarda Costeira dos Estados Unidos anuncia por volta das 14 horas, que estavam "procurando por um submarino de pesquisa canadense". Três horas depois, a instituição realizou uma coletiva de imprensa para afirmar que estava "trabalhando muito" para localizar os viajantes.

Às 12h30, a OceanGate Expeditions se manifestou pela primeira vez. Em nota, disse que estava "explorando e mobilizando todas as opções para trazer a tripulação de volta com segurança".

primeiro viajante identificado foi Hamish Harding, um bilionário que é cofundador e presidente da Action Aviation, uma empresa especializada em serviços de aviação e aeroespaciais.

No mesmo horário, mídias internacionais informaram que Paul-Henry Nargeolet também estaria no submarino.

20 de junho: outros passageiros são identificados

O empresário paquistanês Shahzada Dawood e seu filho Suleman foram identificados na madrugada de terça-feira. A família do empresário emitiu um comunicado informando que ambos estavam na viagem subaquática.

Montagem - O britânico Hamish Harding, o paquistanês Shanzada Dawood e o francês Paul-Henry Nargeolet — Foto: Arte/g1

Por volta das 9 horas, as equipes que procuravam pelo submarino desaparecido anunciaram que ampliariam a área das buscas. A operação está sendo feita em conjunto pelas Forças Aéreas dos Estados Unidos e do Canadá.

Às 11h40, a França Outro país que se aliou as buscas foi a França. O país vai enviar um navio, chamado Atalante, que é administrado pelo instituto de pesquisas Ifremer, e atua sob a alçada do ministério.

21 de junho: ruídos e primeiras imagens das buscas

A Guarda Costeira capturou ruídos que poderiam ser do submarino. As autoridades também divulgaram as primeiras fotos das buscas. Havia uma estimativa de que a embarcação teria poucas horas de oxigênio. A Marinha chegou a enviar embarcações e equipamentos para tentar içar grandes objetos.

Navio que participa das buscas por submarino que despareceu durante expedição ao Titanic no Oceano Atlântico, em 20 de junho de 2023. — Foto: Guarda Costeira dos EUA

22 de junho: mortes são confirmadas

A OceanGate, empresa responsável pelo submarino Titan, confirmou que todos os passageiros morreram. Mais cedo, a Guarda Costeira dos Estados Unidos informou que os destroços do submarino foram encontrados.







O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.