menu
Notícias

Sarandi - O café por quem entende de café, Cafeteria Meraki!



Data de publicação: 22 de abril de 2022
Hora: 09:55h
Fonte: Fernando Luis Concatto



A JCI Sarandi que há 46 anos apresenta o programa na Rádio Sarandi, aos sábados, das 8 às 9 horas, no dia 16 de abril de 2022 abriu espaço para conversar com o empresário João Lima, sócio proprietário do Meraki. Inicialmente João Lima informou ser natural de Palmeira das Missões, e veio para Sarandi para trabalhar na Rádio Sarandi. Depois atuou no setor de Comunicação do Sicredi. Após abriu seu empreendimento no ramo  do café e lanches - Meraki. Como empresário João  disse ser um empresário muito dedicado,  colega  e parceiro dos colaboradores, atuando diretamente na linha de frente, atendendo o público .

O dia 14 de abril é o dia  Mundial do Café, João informou que existem  três datas oficiais; 24 maio - dia Nacional,14 de abril dia Mundial e primeiro de outubro dia Internacional do café. Também relatou que começou a conhecer o café numa consulta à nutricionista em 2016, que disse para tirar o açúcar do café. A partir de então começou  se aprofundar no conhecimento sobre esta bebida deliciosa, foi conhecendo o ramo do café comercial,  o especial, o café gurmê e outros. Descobriu que  existem sabores com gosto de frutas como morango, abacaxi, manga... Com isso iniciou a paixão pelo café. Em 2017 realizou o seu primeiro curso de Barista, ou seja, especialista em café, ou profissional habilitado para trabalhar com café. Existe muita técnica e tudo é cientificamente preparado para extrair do café o melhor.

A decisão de abrir uma cafeteria em Sarandi foi planejada duraram dois anos de busca de experiências para montar um empreendimento  próprio, que fosse satisfazer a clientela. A montagem do local levou oito meses de trabalho. O local onde funciona também foi escolhido a dedo e realizadas muitas adaptações para atender a necessidade e tornar um local aconchegante. Sobre qual o significado de “Meraki”, é fazer com a alma e com  o coração.

A empresa iniciou as atividades em 2018. Sobre os itens oferecidos e quais os mais pedidos, informou que no cardápio constam  mais de 40 bebidas, incluindo café gelado e quente. No verão o mais pedido é o café gelado com água tônica e suco de laranja - o expresso tônica, soda italiana. No inverno a temporada dos capuchinos e do chocolate quente. Também oferece sanduiches especiais e linha de tortas doces diversas. Perguntado sobre quais os cafés mais exóticos que  já provou disse ser o café Colombiano, Guatemala, Peru, mas o mais exótico é o jacu bird,  sendo que a ave “jacu” come o café e depois expele o grão. Os empresários recolhem e processam o café, tendo o custo aproximado de mil e setecentos reais ao kg. O Café descafeinado  não possui  cafeína, passa por  um processo especial. O Café que compramos no mercado tradicional   passa de um selo de pureza da ABIC, num pacote de 250 gr.  permite até 300 defeitos dentro da legislação. Já o café especial permite 4 defeitos num pacote de 250 g. Sobre sua equipe, João informou que hoje possui  cinco colaboradores, trabalha  também com sistema take Away, em que o cliente solicita  paga e leva.

Sobre qual o melhor café para o João, ele afirmou ser o Café de Minas. Da Fazenda Forquilha do Rio. Reforçou  que o Meraki funciona de Segunda a Sábado, das 14 as 19 horas, próximo ao Açougue do Jorge.  No final agradeceu a oportunidade em participar do programa e colocou-se à disposição. Antes de encerrar o programa ocorreu o sorteio de um ovo de colher de brigadeiro, gentileza da Vani Confeitaria e o ganhador foi  o ouvinte Adair Chapuiz. O programa da JCI teve apresentação de Caroline Tártaro- coordenadora do Programa e de Luiz Fernando Giovanini - Senador JCI, agraciado com a medalha Vitor Bouças. O Programa da JCI pode ser revisto no facebook da JCI-Sarandi. Feliz e abençoada Páscoa a Todos!







O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.