menu
Notícias

Engenho Velho - O Curso de Jardinagem foi realizado nos dias 04, 05 e 06 de outubro na Emater



Data de publicação: 13 de outubro de 2021
Hora: 08:00h
Créditos: Jornalista Marcela Buzatto
Fonte: AIP - Emater/RS-Ascar



A Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), acompanhada do chefe do Departamento Indígena de Engenho Velho, Claucir Vaz, realizou a entrega de sementes de milho e feijão para famílias indígenas do município. A ação faz parte do Programa Semeando nas Aldeias. Foram entregues sementes para 70 famílias da Terra Indígena (TI) Serrinha, através de visitas domiciliares.

“Na oportunidade, também orientamos as famílias quanto ao cultivo e à importância da produção diversificada para a subsistência e a qualidade da alimentação. Orientamos ainda sobre saneamento básico, a prática de limpeza dos arredores e sobre a coleta de lixo”, comentou a extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Pricila Folle Daris. O chefe do Departamento Indígena de Engenho Velho destacou a importância do apoio da Emater/RS-Ascar no desenvolvimento de ações com a comunidade indígena. Claucir acompanhou todas as visitas e auxiliou nas orientações às famílias da TI.

Lançado em abril deste ano, o Projeto Semeando nas Aldeias foi criado com o objetivo de ampliar o acesso a alimentos e minimizar os impactos sociais e econômicos da pandemia da Covid-19 sofridos pelas famílias Charrua, Guarani e Kaingang no Rio Grande do Sul. Esta é uma iniciativa da Emater/RS-Ascar, em parceria com a Seapdr, e que beneficiará 5.260 famílias indígenas que vivem em 150 aldeias, localizadas em 67 municípios do Estado, com a distribuição de sementes de hortaliças e o estímulo à produção para subsistência. O município de Engenho Velho é um dos municípios contemplados no projeto.

Para a Emater/RS-Ascar, essa iniciativa vem somar esforços para viabilizar e/ou ampliar a autonomia das famílias indígenas na produção e diversificação de alimentos limpos e saudáveis para o autoconsumo, contribuindo para a sua segurança e soberania alimentar e nutricional, sua renda não-monetária e a melhoria das suas condições de vida. Na região Norte, além de Engenho Velho, o projeto inclui famílias indígenas dos municípios de Constantina, Erval Seco, Gramado dos Loureiros, Iraí, Lajeado do Bugre, Liberato Salzano, Nonoai, Planalto, Rio dos Índios, Ronda Alta, Três Palmeiras e Vicente Dutra. Ao todo, serão beneficiadas 1.294 famílias indígenas na região.







O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.