menu
Notícias

Sarandi - Escriturada em nome do Município segunda área de terra do Programa Morar Melhor

Área de 90 mil m² localizada no Bairro Vicentinos terá capacidade para cerca de 200 terrenos

Data de publicação: 11 de outubro de 2021
Hora: 10:30h
Fonte: Decom



O Gabinete do Prefeito Nilton Debastiani foi palco de mais um momento histórico para Sarandi. Coroando as grandes conquistas do Governo na área habitacional, foi assinada no último dia 07 de outubro, quinta-feira, a escritura da segunda área de terra do Programa Morar Melhor em nome do Município. A partir de agora, a Prefeitura de Sarandi poderá projetar o loteamento popular que será instalado na área, com toda a infraestrutura de pavimentação, rede de água, energia, drenagem e esgoto.

A iniciativa é compromisso de Debastiani, do vice-prefeito Reinaldo Nicola e do secretário de Habitação e Regularização Fundiária Alex Rodrigues com a comunidade de viabilizar 500 lotes para a população de baixa renda do município, atenuando o déficit habitacional de Sarandi. A aquisição desta área de terra vem após aprovação do Poder Legislativo em setembro, por unanimidade, que se uniu ao propósito do Governo Municipal de viabilizar o Programa Morar Melhor.

 

Área de terra poderá comportar cerca de 200 terrenos.

A área escriturada em nome do Município no último dia 07 foi adquirida da família Tesser, representada na solenidade pelo sr. João Gustavo Tesser, com aproximadamente 90 mil metros quadrados de área e capacidade para viabilizar cerca de 200 terrenos. Está localizada junto ao Bairro Vicentinos, na faixa de lavouras ao lado da rua Marcos Novello, da escola Paraíso da Infância e da Praça da Cidadania, em uma região considerada nobre e de fácil acesso.

O valor total da aquisição gira em R$ 2,4 milhões, pagos com uma entrada de R$ 800 mil e o restante em parcelas anuais. O valor compreende a avaliação imobiliária da área utilizável para o loteamento, precificada em cerca de R$ 35,00 por metro quadrado, e a “terra de mato”, em aproximadamente R$ 15,00/m², que abrigará a área verde obrigatória por lei do loteamento. Um valor justo para os proprietários e para o Município, nas palavras do prefeito Debastiani, que negociou juntamente com Nicola e Alex diretamente com os proprietários:

- Nós estamos adquirindo uma área urbana, em região nobre do Bairro Vicentinos, próxima da cidade, de duas importantes escolas, de praça, de unidade de saúde, por um valor médio de 27 reais o metro quadrado, considerando a área utilizável e a parcela destinada obrigatoriamente para área verde e área institucional – destaca Debastiani – é um valor justo e muito bem investido, principalmente em benefício de quem mais precisa.

O projeto autorizativo do Executivo foi debatido na Câmara de Vereadores, à época de sua proposição, aprovado por unanimidade pelos parlamentares. Os vereadores da bancada do PDT, partido de situação, fizeram defesa enfática do projeto, levando em números as informações para o debate. A bancada do Partido Progressista, da mesma forma, votou favoravelmente ao projeto. O vereador Pablo Mari (PSL), que é corretor de imóveis, também avaliou positivamente:

- Em cima desse cálculo [de avaliação de imóveis para instalação de loteamentos], nós estamos fazendo um bom negócio, eu digo nós enquanto Poder Público – afirmou Pablo na tribuna da Câmara, no início de setembro.

Em relação aos próximos passos, o secretário Alex Rodrigues projeta a construção da infraestrutura do loteamento como o próximo desafio:

- Neste momento, nós estamos aguardando para escriturar a terceira e última área adquirida para o Morar Melhor, proveniente da família Novello, para fechar essa etapa da aquisição das áreas e passarmos ao maior desafio, que é construir a infraestrutura dos loteamentos para podermos proceder com o parcelamento do solo em terrenos – explica Alex.

 







O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.