menu
Notícias / Geral

Ronda Alta - Projeto de criação da APAE apresentado na câmara de vereadores



Data de publicação: 30 de agosto de 2021
Hora: 11:00h
Créditos: Carolina Beux
Fonte: Prefeitura de Ronda Alta



Uma das iniciativas que têm mobilizado a comunidade de Ronda Alta diz respeito à criação da APAE – Associação de Pais e Amigos de Excepcionais. A assembleia da entidade, propriamente dita, ocorrerá no dia 1º de setembro, no Esporte Clube Brasil.

Com a intenção de mobilizar também os vereadores, a assistente social Keli Casonato, representando todos os integrantes da comissão que busca a criação da APAE, utilizou o Grande Expediente da Câmara de Vereadores para explicar aos edis as razões da iniciativa.

Keli relatou estar representando a comissão provisória para implantação da Apae no município, em nome do grupo, e agradeceu à casa pela cedência do espaço. Disse também, que se fez presente para falar um pouco sobre o processo de fundação da APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais. Salientou que o movimento se iniciou a partir da demanda de pessoas que necessitam de um atendimento especializado devido a sua condição, seja ela originária de uma deficiência intelectual e/ou múltipla. Frisou que há um levantamento inicial com cerca de 50 pessoas que apresentam perfil para atendimento.

Sendo assim, um grupo de pessoas formado por profissionais e pais de crianças e adolescentes excepcionais, está trabalhando para que essa entidade seja implantada em Ronda Alta. Enfatizou que se trata de um processo lento e burocrático, porém, se entende que a instituição fará a diferença na vida daquelas pessoas que apresentam algum tipo de deficiência, bem como em suas famílias.

Keli frisou que dos dias 21 a 28 de agosto é comemorada a semana nacional da pessoa com deficiência intelectual e múltipla, cujo tema este ano é “É tempo de transformar conhecimento em ação”. “Esse assunto nos leva a refletir, e a partir do que se tem conhecimento de uma realidade, precisamos nos mobilizar, tomarmos atitudes e intervir para que ocorra uma mudança. É este pensamento que nos move, que nos faz lutar para que esta tão valorosa entidade se torne concreta em nosso município”, finalizou a assistente social.

Completando as informações, Keli falou também sobre a missão da APAE, que é promover ações voltadas à melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência, em seus diferentes ciclos, sejam elas crianças, adolescentes, adultos ou idosos, para assim, contribuir com a formação de uma sociedade mais justa e solidária. Os serviços disponibilizados na instituição abrangem as áreas de assistência social, educação, saúde, profissionalização, cultura, esporte, lazer, defesa e garantia de direitos, entre outros.

O atendimento qualificado, especializado e multiprofissional é direito da pessoa com deficiência, para que ela tenha condições de se desenvolver plenamente e participar da vida comunitária. O Estatuto da Pessoa com Deficiência assegura o acesso e a promoção de uma série de direitos, os quais garantem sua inclusão social e cidadania.

A mesma legislação também afirma que é dever do Estado, da sociedade e da família assegurar à pessoa com deficiência, com prioridade, a efetivação dos seus direitos.

“Cabe aqui ressaltar que a APAE é uma associação civil e beneficente, sem fins lucrativos. Logo, o apoio e a contribuição da comunidade são fundamentais para que a instituição seja implantada e mantida em nossa cidade. Com a cooperação de pessoas, empresas, entidades e órgãos governamentais conseguiremos construir este sonho. Sendo assim, venho aqui hoje convidá-los para engajarem-se conosco neste projeto. Iremos precisar do apoio, incentivo e contribuição de cada um de vocês, como cidadãos e como membros do Poder Legislativo”, concluiu a assistente social.

Na oportunidade, a representante da comissão provisória Ana Paula Ghizzi entregou um convite a cada vereador, convidando-os a apadrinhar a nova entidade.






O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.