menu
Notícias / Polícia

Homem é acusado de matar própria filha bebê asfixiada com travesseiro em SC



Data de publicação: 9 de junho de 2021
Hora: 07:00h
Fotos: NSC TV Reprodução
Fonte: G1 SC



A mãe da criança, que é suspeita de omissão, e o pai, estão detidos no presídio Santa Augusta de Criciúma, na mesma região do estado

Um caso chocou os habitantes do município de Siderópolis, cidade vizinha de Criciúma (SC), sul do estado. Um homem de 24 anos é acusado de matar a própria filha de um ano e dois meses por sufocamento com um travesseiro, no bairro Vila Esperança, na última segunda-feira (07). Conforme a polícia, a criança já teria chegado sem vida até o Hospital São Lucas. O pai alegou no Hospital que a bebê teria sofrido um mau-súbito. 

A mãe da criança, que é suspeita de omissão, e o pai, estão detidos no presídio Santa Augusta de Criciúma, na mesma região do estado. Segundo a Polícia, o pai também deve responder por homicídio qualificado e feminicídio. Ele também possui passagens pela polícia.

“Os médicos começaram a questionar [os pais] porque [segundo eles] a criança já estava há mais tempo assim, que não havia sido naquele momento que tinha ocorrido. A guarnição chegou ao local e a mãe da criança acabou falando que o próprio pai tinha sufocado a criança com o travesseiro”, disse o sargento da PM, Everaldo Martins.

Em depoimento à polícia, o homem negou ter cometido o crime. Segundo o delegado que atendeu o caso, Fernando Possamai, o casal tem outro filha.

“Eles não cuidavam do bebê nem da outra criança. Muitos relapsos nos cuidados. Havia agressão física nessas duas crianças e por isso tipificou no crime de tortura, além de omissão por parte da mãe, maus tratos por parte dos dois”, disse.

A prisão deles ocorreu ainda quando estavam na unidade de saúde. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para fazer a retirada do corpo da criança no local.






O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.