menu
Notícias / Cultura

Leituras boêmias é uma das novidades da Jornada de Literatura

Leituras boêmias é uma das novidades da Jornada de Literatura

Data de publicação: 23 de janeiro de 2017
Hora: 08:00h



 


Livros na mesa: leituras boêmias é uma das ações da Jornada, que acontece de 2 a 6 de outubro, na Capital Nacional de Literatura


Muitas obras da literatura nasceram em uma mesa de bar. Quantas poesias já foram eternizadas em guardanapos! Bares e restaurantes também abrigam assíduos leitores. Pensando nesta lógica e também no anseio de transformar Passo Fundo em uma cidade “jornalizada”, ocupando diferentes espaços com cultura e literatura, a Jornada Nacional de Literatura promoverá a ação “Livros na mesa: leituras boêmias”. Bares e restaurantes estão convidados a aderir a essa iniciativa. A 16ª Jornada Nacional de Literatura, que acontece de 2 a 6 de outubro, é uma promoção da Universidade de Passo Fundo (UPF) e Prefeitura de Passo Fundo.


A equipe das Jornadas, após o cancelamento da edição de 2015, decidiu aprimorar a avaliação da movimentação ouvindo as vozes da comunidade. Segundo a coordenadora da Jornada, professora da UPF Fabiane Verardi Burlamaque, a partir de uma consultoria de 2014, foi realizada uma pesquisa, por meio de grupos focais, organizada pela professora Maria Goretti Betencourt, com diferentes setores da cidade: entidades de classe, professores estaduais, municipais e particulares, professores da região de Passo Fundo e professores e funcionários da UPF.


A pesquisa mostrou que a cidade deveria e pretendia ser envolvida diretamente nas ações da Jornada, ou seja, queria ser “jornalizada”. “Isso implica fazer dos espaços da comunidade não um trânsito até a Jornada na UPF, até o complexo de lonas (que permanece como tradição e identidade das Jornadas), mas um trânsito real, verdadeiro, vagante, de leitura, que leve, sobretudo, à literatura”, destacou Fabiane, ressaltando que dentro desta ideia, continuará sendo desenvolvido o Festerê Literário, coordenado pela professora Mariane Sbeghen, que é uma ação habitual e muito exitosa dessa movimentação cultural.


O professor Miguel Rettenmaier, também coordenador da Jornada, enfatiza a importância de utilizar os espaços da noite para disseminar a literatura e formar leitores. “Sabendo que é característica do texto literário certa dicção ‘noturna’, um tipo de construção que se alicerça em metáforas, ironias, alogicidades, uma opacidade de linguagem que implica a necessidade de ‘iluminação’ do leitor, pensamos que poderíamos utilizar os espaços da noite de Passo Fundo”, comentou.


Assim, foi projetado o Livros na mesa: leituras boêmias para o público maduro, para os jovens adultos. “Sabemos que a formação do leitor não se encerra na escola e que durante a vida toda somos desafiados por novas textualidades.  Livros na mesa: leituras boêmias é, assim, também uma atividade formadora de leitores, aproximando os autores dos leitores e a recepção ao que há de mais atual na literatura brasileira. Isso, é claro, sem esquecer um elemento fundamental, o prazer, seja de ler, seja de conversar, em um envolvimento alegre e afetivo entre sujeitos leitores e escritores”, afirma Rettenmaier.


Livros na mesa: leituras boêmias
A ação prevê debates e discussão aberta, para a comunidade em geral, em bares da cidade e espaços culturais no período da Jornada, no horário entre 22 e 24 horas. Depois da discussão, haverá um show de músicos da cidade. A metodologia se articula à conversa informal de autores com leitores com sessão de autógrafos, lançamentos de livros, momentos para fotografias com show.


“Jornalizar” a cidade
Uma das unanimidades entre a coordenação da Jornada é que o conceito de “jornalização” não pode existir sem que a comunidade forneça seu sentido e seu significado.  “Jornalizar a cidade significa permitir que a comunidade construa sua participação na Jornada. Livros na mesa: leituras boêmias se encontra nessa referência. Isso quer dizer que estamos abertos à participação dos pontos comerciais da noite de Passo Fundo”, revelou Fabiane.  


A ideia é que bares e restaurantes de Passo Fundo se envolvam nesta ação. “São espaços em que sujeitos se reúnem e em que diferentes leituras de mundo se encontram. Nosso desejo é que a leitura se integre à noite da Capital Nacional da Literatura”, afirma a coordenadora da Jornada.


Os estabelecimentos poderão utilizar a criatividade para decorar e receber esta ação da Jornada. “Quem sabe no futuro grande parte dos cardápios dos bares e restaurantes não contemplem nomes de obras e de escritores?”, imagina Miguel Rettenmaier.


Como participar?
Proprietários de estabelecimentos comerciais locais interessados em receber a ação Livros na mesa: leituras boêmias podem entrar em contato com os coordenadores da Jornada pelo telefone (54) 3316-8368 ou pelo e-mail
[email protected].


Foto - Reprodução
Texto - Assessoria de Imprensa - Universidade de Passo Fundo




Leituras boemias e uma das novidades da Jornada de Literatura230117 Leituras boemias e uma das novidades da Jornada de Literatura230117



O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.