menu
Colunas

Uma história de fé


Data de publicação: 1 de dezembro de 2014
Coluna: Coronel Vogt
Colunista: Coronel Vogt



 


Aqui em PORTO ALEGRE, foi organizada uma viagem à EUROPA. Objetivo: visitar os locais históricos em que a Nossa Senhora apareceu em FÁTIMA (PORTUGAL) e LOURDES (FRANÇA). Seria visitada, também, ASSIS (ITÁLIA), cidade onde SÃO FRANCISCO, A Personalidade do Milênio, viveu, na Idade Média. Gostei da iniciativa. Visitar locais históricos é um prazer. Eu me emociono. O pensamento dispara. Vasculha o passado. Porém, a excursão em pauta aconteceu em momento inoportuno. Para mim e outras pessoas. Decidi não priorizar a viagem à EUROPA com os amigos. Deparei-me com vários obstáculos.


Uma das pessoas inscritas para a visita inesquecível conseguiu juntar, após muito esforço, o numerário que precisava. Mas foi contra-indicada pelo médico. A senhora, assídua frequentadora da Igreja SÃO FRANCISCO, do Bairro SANTANA, precisava se submeter a uma cirurgia emergencial. Estava com patologia preocupante nos tendões dos pés. E agora? O que fazer? Cancelar tudo? Adiar o sonho?                                  


Para conter o avanço da doença, incapacitante e, às vezes, dolorosa, decidiram fazer um procedimento provisório. E a devota fiel de Nossa Senhora partiu ... para conversar com Ela... do outro lado do oceano...                                        


As visitas aos locais sagrados europeus oportunizaram aos gauchos compreender melhor os personagens históricos daquela época. Parecia que o SÃO FRANCISCO e a Santa CLARA ainda estavam por ali! ... A relação da devota porto-alegrense com a Nossa Senhora foi motivo de admiração. Rezar com devoção. Acreditar. Chorar por Ela. Esquecer a dor. Agradecer por tudo. Agradecer de novo. Sentir a presença ... da Mãe de JESUS... Pedir com humildade. Pedir outra vez. Construir uma bonita história. Viver, na velha Europa, uma lição de fé, aos pés de um manto azul...


Ao retornar ao BRASIL, a ardorosa devota de Nossa Senhora estava disposta a retomar o tratamento médico. Queria, agora com mais tempo, fazer todos os exames. Na primeira consulta, um profissional renomado ficou surpreso. Incrédulo. Disse para a dedicada senhora que ela já podia voltar para casa. Retomar as caminhadas. Fazer compras. Cantar nas missas. Enfim, ter uma vida normal. Não havia mais exames... e finalizou: “A SENHORA ESTÁ CURADA!”            


Por C F VOGT – [email protected]   


DiárioRS


CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre às notícias da região



0000a0aviver -pela fe 0000a0aviver -pela fe