menu
Colunas

A VERDADE


Data de publicação: 28 de novembro de 2014
Coluna: Coronel Vogt
Colunista: Coronel Vogt



Em BRASÍLIA, num Quartel do Exército, dois Soldados faltaram ao expediente. O Capitão ordenou que ambos fossem chamados. Queria conversar com eles. Olhar nos olhos daqueles jovens. O primeiro que compareceu foi um Soldado oriundo de MINAS GERAIS, o JUMÊNCIO, de POÇOS DE CALDAS. Informou ao Comandante que, no dia anterior, estava doente. Com febre, acamado. E que iria ao médico...


Percebendo que o subordinado, por intermédio de um linguajar direto e sem rodeios, falou a verdade, o Capitão disse: “Meus cumprimentos, JUMÊNCIO, por ter dito a verdade. Você quase nunca falta. Vou lhe perdoar. Priorize a sua saúde. Vá, logo, apresentar-se à Dra ASPIRINE, na Enfermaria do Batalhão. Faça uma avaliação completa. Continue assim. Você está indo bem. E volte, o quanto antes, para a Instrução Militar... Lembre-se: a educação de uma pessoa é fundamental!”


A seguir, o outro Soldado que faltou, o ENRONALDO, apresentou a sua versão ao fato de não ter vindo cumprir o dever... ”Meu material já estava pronto. Mas, bateram na minha porta:TOC! TOC! O Sr não imagina quem era! Um grande artista: o RONALD GOLIAS! O amigo do CASALBERTO! O helicóptero dele caiu em ÁGUAS LINDAS. Precisava de dinheiro. O SÍLVIO SANTOS não tinha. Estava no SERASA. Fiquei sensibilizado. Fui com ele  até o  Prefeito de CEILÂNDIA,  um tal  de ODORICO PARAGUASSU...”  Intrigado, o Capitão BONDOSO quis saber:  “Mas ele já não foi transferido?”


O ENRONALDO tratou, logo, de arrumar uma explicação: “Sim, foi, para a aposentadoria. Agora, ele é meu vizinho. Tem um Karman Guia vermelho!” E apresentou mais argumentos: “Eu não acreditava. É ele mesmo. Comprou o bar do MANOEL. Agora, ele é bodegueiro!” O Comandante, já perdendo a paciência, exclamou: “Tudo é possível, depois que o GRÊMIO ficou campeão do mundo!” O Soldado continuou: “Ele é um homem bom. Deu-me carona até a Ponte JK, no Lago PARANOÁ!”


O Capitão quis saber: “Por que o ODORICO não lhe trouxe até o Quartel?“ O ENRONALDO respondeu: “A Polícia estava na ponte. Ele estava com a carteira vencida. Tentamos atravessar a nado. Fui atacado por um jacaré. O ODORICO, por uma dinossaura!” O BONDOSO ordenou ao Oficial de Inteligência do Batalhão: “Tenente JUMENTINO, leve o Soldado ENRONALDO. Apure tudo, com presteza. O tempo que passa é a verdade que foje!”


ANÁLISE DOS FATOS


O Soldado JUMÊNCIO falou a verdade. Foi perdoado e ajudado. O ENRONALDO teve que mentir várias vezes para tentar justificar a sua falta ao Quartel. Fez papel de ridículo. Envolveu pessoas inocentes. Não percebeu que seus superiores sabiam que ele mentia. Poderá ser punido e perder a vaga no Curso de Formação de Cabo. Faltar com a verdade é grave. Omitir informações que possam conduzir à apuração de um fato... é grave! Em nações desenvolvidas, por exemplo, o Presidente que mentir para o Povo corre o risco de perder o mandato...


ENSINAMENTOS



  • A mentira dificulta a solução do problema.

  • O bom cidadão “joga limpo” com as pessoas.

  • O militar disciplinado cultua a verdade.

  • Quem mente perde a confiança, a credibilidade e a liderança.

  • A literatura e a vida estão entrelaçadas. Cidadãos do mundo real entram nas páginas dos livros. E personagens da literatura têm sido vistos... circulando por aí...

  • No lago da vida, as pedras afundam. A verdade emerge.

  • Enganam-se aqueles que pensam que a verdade é moeda sem valor. Ela é o alicerce da autoridade e a mãe da felicidade.


(Fonte: “CORAÇÃO DE SOLDADO” – C F VOGT)
[email protected]