menu
Colunas

O que realmente lhe move adiante?


Data de publicação: 16 de fevereiro de 2022
Coluna: Guilherme Cogo - Crônicas Sórdidas
Colunista: Guilherme Cogo



Em meio ao acelerado dia-a-dia e ao caos das sistematizações, é muito complicado dar-se o luxo de parar e realmente refletir sobre os amplos sentidos do que está sendo posto em prática. Mais difícil que isso deve ser encontrar a derradeira resposta para o seguinte questionamento: o que realmente lhe move adiante?


Diante das nítidas inconsistências intrínsecas a tudo que nos refere, muitas vezes nos vemos na necessidade de buscar francamente a resposta para tal indagação. Isso porque podem ser considerados incontáveis os momentos nos quais percebemo-nos como meros sujeitos que não possuem uma razão de ser em si mesmos, podendo ser vistos como inconscientes que estão aguardando, sentados, pela chegada de um fim.


"A vida é demasiado curta para nos permitir interessar-nos por todas as coisas, mas é bom que nos interessemos por tantas quantas forem necessárias para preencher os nossos dias". Assim, o filósofo britânico Bertrand Russel pensa a vida, retratando na frase exposta o que, em sua visão, é o fundamental para que se encontre o que realmente está dando o ritmo do andar da carruagem, sem que se cultive qualquer extremo impraticável.


Como bem refere o autor, embora não saibamos o quanto viveremos, não há como realizar em vidas curtas, por essência, tudo o que se quer ou o que se imagina. No entanto, isso não quer dizer que é impossível significar a vida em algo que produza reais valores para que se alcance algo além do fútil e do banal.


Portanto, uma conclusão plausível para tal questionamento talvez seja considerar que, embora constantemente mergulhados em hipocrisias, o que move todos adiante é relativo ao que se considera indispensável para a vida que se vive, a qual, sem isso, não seria tal e qual como se conhece!

Por: Gulherme Cogo

Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais. Atua como colunista no Jornal A Região. Escritor iniciante.