menu
Colunas

Nutrição - “E aí, chocolate pode?”


Data de publicação: 2 de abril de 2015
Coluna: Kelly Angélica Wagner
Colunista: Kelly Angélica Wagner








A páscoa está chegando, momento de paz, reflexão, de reunir a família, de celebrar... E é claro, é época de esperar o coelhinho da páscoa também, não é?


Quando se pensa em páscoa, logo lembra-se de ovos de chocolate, trufas, bombons e afins. É uma das épocas mais esperadas e de maior “comilança” do ano. E então, surge a pergunta que toda nutricionista com certeza já ouviu ou ouvirá na vida: “e aí, chocolate pode?”


Claro que pode! Assim como todos os alimentos, a regra é: moderação.


Sou da opinião que nenhum alimento seja totalmente proibido, exceto se a pessoa possua alguma doença que a impeça de consumir determinados alimentos, e/ou estes possam vir a causar danos à sua saúde. No demais, podemos (e devemos) sim comer de tudo, algumas coisas mais, já outras em menores quantidades e com menor frequência.


O chocolate é um produto produzido a partir do cacau, fruto do cacaueiro, originário da América do Sul e produzido em larga escala no Brasil. O chocolate possui propriedades que são responsáveis por elevar os níveis de serotonina e endorfina, que são hormônios responsáveis pela sensação de bem estar, prazer e melhora do humor.


De acordo com a nutricionista Marcella Xavier, o chocolate amargo contém cerca de 70% de cacau, sendo uma fonte rica em flavonoides, que é um antioxidante que beneficia o sistema circulatório e auxilia no combate aos radicais livres. Já o chocolate ao leite apresenta quantidades muito baixas deste antioxidante e o chocolate branco não possui esta substância.


O problema do chocolate surge quando as pessoas perdem o controle e acabam exagerando na quantidade, podendo provocar intoxicação alimentar, diarreia, vômito, mal estar e sensação de inchaço. Além disso, consumir chocolate em grande quantidade e de forma regular pode contribuir para o excesso de peso e auxiliar no desenvolvimento de doenças crônicas como diabetes e dislipidemias (colesterol e triglicerídeos elevados).


Em média, são 130 a 140 calorias em cada porção de 25 gramas (4 quadradinhos), já uma barra de chocolate de 150 g possui cerca de 780 a 840 calorias. Conforme o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia: “Cerca de40 gramas três vezes por semanasão mais do que suficientes para obter os benefícios sem comprometer a silhueta”.


É importante ficar atento à qualidade do chocolate, a matéria prima e quantidade de cada produto utilizado na fabricação. Em geral todo chocolate além de cacau, possui também gordura e açúcar, que varia conforme a marca e variedade.


Confira as diferenças entre as variedades de chocolate:


- Amargo: composto por sementes de cacau torrado, pouco açúcar e sem adição de leite. Este tipo de chocolate possui cerca de 70% de cacau e é o menos doce e menos gorduroso de todos.


- Chocolate meio amargo: possui cerca de 50% de cacau em sua composição. Apresenta maior quantidade de açúcar em relação ao amargo, e menor quando comparado ao chocolate ao leite e chocolate branco.


- Ao leite: possui um sabor mais adocicado e contém em sua formulação cerca de 30 a 40% de cacau, além de açúcar, leite, leite em pó ou leite condensado. Esta variedade de chocolate possui menor teor de cacau, grande quantidade de açúcar e maior valor calórico comparado ao chocolate amargo.


- Branco: este tipo de chocolate não leva massa de cacau, sendo feito de manteiga de cacau, leite e açúcar. É a variedade mais doce e possui maior teor de gordura e valor calórico que os demais.


- Chocolate diet: são recomendados apenas para os diabéticos porque apesar de não possuírem açúcar, costumam apresentar mais gordura do que os chocolates convencionais tornando-se mais calóricos.


Fique atento e procure chocolates com menores quantidades de gorduras e açúcares. Quanto mais amargo for o chocolate, mais cacau, e menos açúcar e gordura ele possui.


Por ser muito calórico, uma dica é sempre que for comer chocolate, evitar alimentos gordurosos, outros doces e frituras para que a alimentação não fique tão desequilibrada.


Kelly Angélica Wagner


Acadêmica de Nutrição - Universidade Federal de Santa Maria


DiárioRS


CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e  fique informado sobre as notícias da região.





chocolate chocolate
chocolate
chocolate ao leite lacta2
whats rodape